Reformulação do treinamento em grupos pequenos

Para gestores de academias

Reformulação do treinamento em grupos pequenos

De acordo com o artigo Worldwide Survey of Fitness Trends for 2018 do ACSM (American College of Sports Medicine), publicado na edição de novembro/dezembro do Health & Fitness Journal®, treinamentos personalizados em grupo estão em 13o lugar entre as 20 principais tendências do mundo fitness para 2018. Em 2007, o SGT (treinamento para grupos pequenos) ou treinamento personalizado em grupo foi incluído nesse ranking da ACSM pela primeira vez. Desde então, essa modalidade de treinamento se manteve entre as 20 principais tendências na pesquisa mundial.

O treinamento para grupos pequenos, um treino orientado por instrutor e focado em grupos de duas a oito pessoas, é uma tendência consolidada e continua sendo um programa de base oferecido por academias de ponta, academias intermediárias, centros recreativos, estúdios de ginástica do tipo butique, entre muitos outros. Segundo o 2017 International Fitness Industry Trend Report da Club Intel, o treinamento para grupos pequenos teve uma taxa de adoção superior a 38% e uma taxa crescimento média em quatro anos de 8% dentro do setor de serviços/produtos.

A observação e a exploração das tendências do setor, bem como de tendências sociais, ajudará gestores de academias e líderes fitness a conduzir seus negócios em direção ao crescimento e ao sucesso. É importante reconhecer as tendências como um movimento. Elas surgem a partir de uma série de eventos que ganham impulso e se desenvolvem à medida que ganham visibilidade, crescem e amadurecem com o tempo.

Como o treinamento para grupos pequenos pode evoluir para continuar sendo uma tendência e continuar oferecendo o que os alunos e entusiastas da prática de exercícios buscam? Gestores e proprietários de academias, centros recreativos e academias butique podem analisar as tendências comerciais e sociais influentes para entender como podem orientar a reformulação dos próprios programas de SGT se quiserem se manter relevantes e ter ainda mais sucesso.

Este artigo examinará o possível impacto sobre o treinamento para grupos pequenos causado pelas características influentes que orientam o treinamento personalizado, aulas de ginástica em grupo, o mercado fitness recém-emergente da melhor idade e a tecnologia vestível. Você conhecerá tendências a serem incorporadas ao treinamento para grupos pequenos, diferentes modelos de programa e como manter sua programação estimulante e inovadora para o usuário.

Tendências fitness influentes — Possível impacto sobre o treinamento para grupos pequenos

Recentemente, testemunhamos a criatividade e a inventividade das academias e clubes esportivos, que, para continuar competitivos, aproveitam o que há de melhor nos estúdios de ginástica do tipo butique. Assim, não é incomum que proprietários e gestores de academias permaneçam atentos às tendências do setor para moldar continuamente a experiência dos alunos, os programas de ginástica e os serviços oferecidos.

Academias e clubes esportivos que têm um programa de treinamento personalizado em grupo estão em uma posição privilegiada para aumentar seu centro de receita aproveitando as diversas tendências do setor. Será necessária a participação de proprietários, gerentes de programas e treinadores responsáveis pelo desenvolvimento, elaboração e fornecimento de treinamento para grupos pequenos para unir as principais características influentes: o diferencial personalizado e a experiência comunitária de estúdios de ginástica tipo butique e do treinamento em grupo, a educação sobre condicionamento físico fornecida no treinamento personalizado e os dados aprimorados orientados pelo desempenho obtidos com tecnologia fitness.

O próximo nível dos programas de treinamento para grupos pequenos

Os benefícios do treinamento para grupos pequenos para proprietários, preparadores físicos e usuários de academias são bastante conhecidos. Todos ganham com esse tipo de programa. Os usuários obtêm os benefícios do treinamento personalizado e individualizado com treinadores talentosos e motivados por um custo mais acessível do que no treinamento personalizado. Os preparadores físicos aumentam de maneira eficaz sua renda pessoal, credibilidade e reputação. Os proprietários da academia melhoram as taxas de retenção e engajamento. O 11 Prognostications for the Fitness Industry in 2018 da Club Intel identifica dois movimentos que podem influenciar as estratégias para levar o SGT ao próximo nível. Um deles é a aptidão social, que se baseia em um desejo de buscar experiências com amigos. Isso é algo significativo entre a geração Y, que tem uma mentalidade colaborativa e coletiva e que está moldando a forma como as pessoas querem se envolver no condicionamento físico. O segundo, é uma mudança da visão dos gestores de academias de um foco exclusivo nas vendas para o objetivo de atender os alunos. A ênfase está no engajamento dos alunos, na criação de relacionamento e na promoção de fidelidade com a intenção de monetizar essas características.

Nunca devemos ficar complacentes com relação às nossas conquistas nem confortáveis com a experiência que estamos oferecendo aos alunos. É essencial nos mantermos cientes das tendências locais, nacionais e globais do mercado para continuarmos relevantes, inovadores e competitivos.

Quatro tendências para renovar um programa de treinamento em grupo

1. Aproveite o poder das butiques
Incorpore as características influentes dos estúdios de ginástica do tipo butique para revitalizar sua experiência de treinamento para grupos pequenos. As butiques acertam em muitos pontos. Um deles é o treinamento centrado no cliente e voltado para os resultados. Os alunos de butiques são atendidos de forma exclusiva: assegure-se de que seu programa para grupos pequenos demonstre preocupação com os clientes, conheça os objetivos de condicionamento físico do cliente, trabalhe em conjunto com os clientes e garanta que eles saibam que você reconhece a importância da contribuição deles para a própria saúde e condicionamento físico.

As butiques geram uma sensação de comunidade. Ao reformular um programa de treinamento para grupos pequenos, crie um ambiente de equipe restrito. Estabeleça uma sensação de suporte e comunidade entre os participantes. Considere aspectos em comum: tipos de grupos, faixa etária e preferências de atividades.

Especialize-se em alguns formatos. Os mais populares são relacionados a alguma atividade específica, como corrida, musculação, ioga, boot camp e perda de peso. Leve em consideração quaisquer certificações especiais que seus treinadores de condicionamento físico possam ter, como Kettle Bells, boxe, pilates etc., ao oferecer formatos exclusivos.

2. Adapte-se a um mercado emergente
Apesar da conquista do mercado da geração Y ser algo atraente, qualquer programa de treinamento em grupo elaborado com uma visão do futuro deve incluir um formato focado no mercado de usuários da melhor idade. O Health Club Industry Active Ageing Report de Ray Algar se aprofunda nas implicações de uma sociedade global que está envelhecendo e na forma como os setores de saúde e fitness estão respondendo a isso. Algar argumenta que atualmente está emergindo a economia da longevidade, que oferece às pessoas produtos e serviços para aproveitar a vida por muito mais tempo e inclui atividades físicas auxiliadas pela tecnologia que transformam a vida das pessoas mais velhas.

O grupo que mais cresce em academias é o grupo de alunos da melhor idade e também o grupo populacional mais próspero. Em 2020, o número de pessoas no mundo com mais de 60 anos ultrapassará a marca de um bilhão. Isso equivale a uma em cada sete pessoas. Em uma escala global, até 2050 o número de adultos com 65 anos ou mais vai ultrapassar pela primeira vez todas as crianças com menos de 14 anos.

De acordo com o relatório de Algar, não só a expectativa de vida está aumentando devido aos avanços nos cuidados médicos e ao aumento dos padrões de vida, como também o ritmo em que a população está chegando aos 65 anos ou mais está acelerando. Atualmente, pode-se dizer que alguém com 60 anos está na meia-idade, embora uma pessoa com essa idade fosse considerada muito velha há 100 anos. Outra forma de dizer isso seria “os 60 são os novos 40”.

Considerando esses dois fatores, cada vez mais pessoas esperam desfrutar de uma vida mais longa, sendo a maioria desses anos passados com boa saúde. Toda academia, clube esportivo e estúdio de ginástica que quiser se manter relevante e inovador programará um formato de treinamento para grupos pequenos para esse mercado emergente.

3. Combine educação de qualidade e motivação altamente interativa para uma experiência de SGT

O treinamento personalizado está cada vez mais focado na experiência educacional. Os treinadores de condicionamento físico personalizado ajudam os clientes a entender sua fisiologia e qual a melhor forma de manter um condicionamento físico duradouro de maneira independente. Os profissionais de treinamento personalizado precisam ter habilidades mais aprofundadas quanto à identificação das preocupações de qualidade de movimento e postural de um indivíduo para colocá-lo no caminho certo para alcançar os objetivos de longo prazo.

As aulas de condicionamento físico em grupo, no outro lado do continuum do programa de treinamento, é onde os usuários se conectam com pessoas de mentalidade semelhante para ter uma experiência de treino intensa liderada por um instrutor motivacional. Embora o treinamento em grupo exista há vários anos, ele só chegou à lista de 20 principais tendências fitness da ACSM em 2017, ocupando a sexta posição. Em 2018, essa modalidade subiu para o segundo lugar, atrás apenas do treinamento intervalado de alta intensidade. Embora o crescimento de sua popularidade seja incerto, é fácil atribui-lo ao grande crescimento dos estúdios de ginástica do tipo butique, que revolucionaram a experiência de treinamento em grupo.

Os gestores de academias e coordenadores de grupos devem buscar um equilíbrio entre esses dois programas de treinamento opostos para impulsionar a própria oferta de experiência de treinamento para grupos pequenos para os usuários. Recomendamos que você analise seus programas de treinamento para grupos pequenos com uma visão voltada para a combinação das características bem-sucedidas dos dois tipos de modalidade: a experiência educacional de alta qualidade do treinamento personalizado e a natureza divertida, vibrante, altamente interativa e orientada pela sensação de comunidade de uma aula de condicionamento físico em grupo.

4. Adote o uso da tecnologia fitness vestível

Em 2017, a tecnologia vestível ocupou o primeiro lugar na “Worldwide Survey of Fitness Trends” da ACSM e continua quebrando barreiras no condicionamento físico em grupo, o que é atestado pelo alcance global dos estúdios de ginástica Orangetheory® Fitness. O ciclismo indoor também teve sua participação com empresas como a Spivi® e a Performance IQ monitorando e exibindo os dados de desempenho dos usuários. Empresas como a MyZone™, Heart Zones® e Fitmetrix oferecem soluções tecnológicas completas de treinamentos em grupo para academias. Cada vez mais alunos estão acostumados com o ato de colocar um sensor de frequência cardíaca ou usar um relógio inteligente para monitorar a intensidade durante o treino.

Os estudos realizados sobre o uso da tecnologia vestível para condicionamento físico revelam uma correlação entre o uso de um dispositivo vestível e a interpretação útil dos dados para engajar e motivar o usuário. Em um estudo da Universidade de Indiana, 90% dos participantes afirmaram que embora tanto o monitorador de atividade quanto o treinador deles fossem úteis em um período de treinamento de 10 semanas, a combinação de ambos era o que ajudava a manter os objetivos ao longo do tempo. Outro estudo feito pela Universidade de Pittsburgh sobre como os dispositivos vestíveis afetam a perda de peso a longo prazo mostrou que se uma pessoa só recebesse um dispositivo e fosse solicitada a atingir uma meta de exercícios, não havia diferença notável entre dois grupos de amostra aleatórios, em que um recebeu dispositivos vestíveis de condicionamento físico e o outro não recebeu.

Algo primordial nesses dois estudos é a importância tanto do treinador quanto da educação ao incorporar dispositivos vestíveis em um treinamento em grupo. Para facilitar essa conexão, o treinador de condicionamento físico precisa saber como interpretar as informações de um usuário, explicar a ele o que os dados significam e aplicá-los para ajustar o treino do usuário a fim de alcançar os resultados desejados.

Quando programas de treinamento para grupos pequenos incorporam tecnologia fitness vestível e a utilizam para beneficiar os alunos aproveitando a capacidade de interpretar dados e prescrever treinos individualizados, isso pode melhorar a receita da academia, a retenção de alunos e agregar novos níveis à experiência de treinamento para grupos pequenos.

Estrutura do programa de treinamento para grupos pequenos

Não há um modelo único que seja a forma certa de estruturar o treinamento para grupos pequenos. Diferentes modelos e formatos podem funcionar melhor para diferentes grupos de alunos, tipos de academia ou locais. Conheça seus alunos e entenda a dinâmica do seu local. Ao oferecer aos alunos uma escolha sobre como eles podem participar do programa de treinamento personalizado, você os mantém engajados e faz com que continuem se exercitando e voltando para a academia.

A estrutura dos programas de treinamento para grupos pequenos varia de acordo com o objetivo, o formato e o tipo de treinamento de condicionamento físico. O SGT consiste em um grupo de 2 a 4 pessoas, o que difere do treinamento em grupo, que pode ter de 5 a 30 pessoas. Os programas de treinamento para grupos pequenos se concentram em três áreas gerais: baseados em equipamento, baseados em técnica ou habilidade ou baseados no resultado.

  • O treinamento para grupos pequenos baseado em equipamentos atrai usuários que preferem um determinado estilo de treinamento ou tipo de equipamento, como Kettle Bells ou dispositivos de treinamento de peso corporal suspenso.
  • O treinamento para grupos pequenos baseado em técnica ou habilidade permite uma abordagem direcionada para indivíduos que estão se preparando para uma atividade ou um esporte, como uma maratona, campeonato de CrossFit® ou triatlo.
  • O treinamento para grupos pequenos baseado no resultado é direcionado àqueles clientes que estão buscando um resultado físico específico ou uma mudança com o programa, sendo a perda de peso o objetivo principal na maioria das vezes.

Com frequência, o treinamento personalizado em grupo é modelado em torno de uma estrutura progressiva de treinos ao longo de um determinado período, geralmente de 8 a 10 semanas ou com um foco sazonal. Ao todo, 85% da maioria dos estúdios de ginástica, academias e clubes premium dedicam seus programas de treinamento em grupo personalizado a um modelo progressivo. No entanto, o treinamento para grupos pequenos também pode assumir uma estrutura que se assemelha às aulas de condicionamento físico em grupo, na qual os alunos participam de um número ilimitado ou de um número definido por mês de sessões de treinamento para grupos pequenos oferecidas constantemente.

A oferta tanto do modelo de frequência livre contínua quanto de um modelo progressivo proporciona flexibilidade aos alunos que participam de um programa de treinamento progressivo para grupos pequenos para que eles façam uma ou duas sessões do treinamento de frequência livre agendado. Além disso, essa é uma ótima forma de apresentar gradualmente o treinamento para grupos pequenos aos usuários que podem eventualmente se inscrever para um treinamento progressivo para grupos pequenos.

O melhor ativo de uma academia: o preparador físico

Independentemente da direção que uma academia escolha para criar um programa de treinamento em grupo, é importante lembrar que o sucesso pode se basear no profissionalismo e no conhecimento do treinador. Há uma importância cada vez maior dentro do setor fitness de empregar uma equipe capacitada e com treinamento profissional. Esses preparadores físicos são um elo crítico para fornecer uma experiência de qualidade aos usuários e eles têm um papel essencial na retenção de alunos.

Os treinadores de condicionamento físico são a manifestação externa da sua academia. Por isso, o grau de profissionalismo e o nível de educação de um treinador que trabalha individualmente ou para grupos pequenos com clientes é ainda mais importante do que o de um instrutor que dá aulas de exercícios em grupo. Os gestores e proprietários da academia devem avaliar seu sistema de entrevista, integração e treinamento para melhorar a contratação e a retenção.

Os treinadores de condicionamento físico são o epicentro da experiência compartilhada. Eles são os líderes naturais do grupo e devem ter a habilidade de criar uma comunidade em um ambiente de grupo pequeno. Eles não só deixam a experiência de cada indivíduo mais personalizada, como também aproveitam as motivações e a natureza humana para unir o grupo. Esses treinadores são o melhor ativo de uma academia, pois aproveitam a sensação bem-sucedida de comunidade das butiques em seus programas de treinamento para grupos pequenos.

Como dominar o uso da tecnologia fitness vestível

Os dispositivos vestíveis podem ajudar os treinadores de condicionamento físico a incorporar com facilidade em seu programa de treinamento para grupos pequenos o conhecimento de alta qualidade buscado por seus clientes. Utilizando sensores de frequência cardíaca com participantes do SGT, por exemplo, os treinadores de condicionamento físico podem medir em tempo real o estado funcional dos sistemas mecânico, neurológico, metabólico e fisiológico de um indivíduo. Ao reunir e interpretar os dados, o treinador sabe como fazer recomendações de acordo com a avaliação inicial, cargas de estresse e estado funcional individual de cada cliente. O uso da tecnologia vestível de condicionamento físico em grupo eleva a experiência de treinamento para grupos pequenos. Essa é uma ferramenta que dá ao treinador a capacidade de oferecer uma experiência educacional de alta qualidade e um grau de personalização no mesmo nível do treinamento personalizado em uma experiência em grupo energicamente motivada.

Como manter o treinamento para grupos pequenos inovador, relevante e competitivo

Nada pode ser visto fora de contexto, e o mesmo vale para nossos negócios de condicionamento físico. Veja a natureza complexa do nosso corpo, por exemplo. O coração é o músculo mais importante do nosso corpo, mas se ajusta continuamente de acordo com uma rede de informações de sistemas metabólicos. Ele está constantemente ocupado gerenciando e adaptando-se às funções fisiológicas subjacentes: digestão de alimentos, ajuste de temperatura, estresse, medo e, claro, intensidade física.

Os negócios fitness exigem essas mesmas qualidades de supervisão, interpretação e resposta para continuar relevantes para os alunos e manter a competitividade no mercado. É essencial que as academias reconheçam os principais movimentos dentro do setor, social e demograficamente, para fazer inovações na oferta de uma experiência de estilo de vida fitness, além de considerarem o crescimento potencial e o posicionamento no mercado ao reformular o treinamento para grupos pequenos.